Pages

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Caras e bundas


Não, não! Não estou fazendo jabá de “Caras”, a segunda maior receita publicitária nacional em forma de revista e nem da falida “Bundas”. Estou me referindo a invasão de mulheres que substituíram suas caras por bundas para alcançar um lugar ao sol.

Na verdade, talvez seja um pouco demais rebaixar o sol a isso. Essas mulheres talvez tenham alcançado, no máximo, um minuto ao mormaço. E em dia de céu nublado. Também não importaria grande coisa essa inversão de valores se não atingisse justamente o futuro da nação.

Programas como o Super Pop, da super Luciana Gimenez, atraem cada vez mais um exército de pequenos tarados, meninos de 12 a 17 anos, que deixam de bater uma pelada com os amigos para assistirem as peladas da vez desfilando calcinhas ou “falando” sobre filmes eróticos ou fotos sensuais.

Mulheres me perdoem, estou sendo injusto! Além de vocês, homens-heterossexuais-casados-atores-de-filme-pornô-gay também dão as bundas, quero dizer, as caras por lá! Ao lado de suas digníssimas, contando relatos interessantes, como a do rapaz que só faz filme gay no papel do passivo, pois a mulher acredita que sendo ativo estaria a traindo. No mínimo intrigante!

Na teoria de nossa amiga, está tudo liberado para vocês mulheres. Podem trair a vontade, pois a passividade da relação sexual feminina perdoa tudo.

Esses garotos que assistem a esse tipo de entrevista podem chegar a acreditar em tais absurdos. Bem faz uma amiga, mãe de dois filhos pequenos, que proibiu esse tipo de programa em sua casa.

Sou contra a censura, já que cria uma vontade que talvez não existisse, mas nesse caso talvez seja a melhor saída. Principalmente se no lugar do programa os pais conseguirem incentivar alguma atividade que atraia ainda mais a atenção dos pequenos. Se possível ainda com um pouco mais de inteligência, o que convenhamos, não é difícil.

Fica aqui o protesto: abaixo bundas! Mais uma vez - não, não! -, não estou querendo ver pelas ruas apenas mulheres com as bundas caídas. Quero vê-las com as bundas cada vez mais empinadas e bonitas, porém em seu lugar. Abaixo da cintura e, principalmente, abaixo da cara.

2 comentários:

Rodrigo Piscitelli disse...

Interessante...

Antonio Rubilar B. Valente disse...

Gostei cara do texto, acho que é por aí, hj e, dia o que a gente mais vê na tv é bunda,a Débora Secco que o diga.Tudo bem que a gente gosta da "mercadoria" mas acredito que tem hora e lugar para se mostrar.Nossos filhos não precisam aprender sexo e nem excitação vendo a Luciana Gimenez e nem o Pânico na TV.Como digo, tudo tem seu tempo e lugar.Muito bom seu blog.Um grande abraço, Rubi Valente.